Omnishoppers: e-commerce e aplicativos mudam comportamento do consumidor

omnishoppers

 

O omnishopping cresceu rapidamente no mundo inteiro. Globalmente, mais de três quartos dos consumidores já estão engajados no omnichannel, no Brasil esta já é uma tendência quase onipresente, de acordo com o The Shopper Story 2017, da Criteo, empresa líder em tecnologia para commerce marketing. Segundo a mesma pesquisa, 79% dos brasileiros são omnishoppers e utilizam diversos dispositivos, canais e plataformas para pesquisar sobre produtos e comprá-los.

 

O omnichannel integra lojas físicas, virtuais e compradores. Dessa maneira, o cliente pode explorar todas as possibilidades de interação com o produto antes de efetuar a compra. Grande parte dos consumidores brasileiros são adeptos do showrooming, ou seja, tem o primeiro contato com o produto na loja física, porém o adquire online. Segundo a pesquisa, 64% dos consumidores realizam esse processo de compra eventualmente e 29% com regularidade. Porém também existem os consumidores que fazem o caminho inverso, pesquisam sobre o bem que desejam adquirir na internet, veem avaliações, valores e características, mas preferem comprar no varejo tradicional. 62% dos brasileiros aderiram a essa modalidade de compra conhecida como webrooming ocasionalmente e 20% efetuaram compras dessa maneira com frequência. Em comparação aos compradores que não utilizam mais de um canal para a compra, os omnishoppers gastam em média 7% a mais no ambiente online e 44% a mais no varejo tradicional.

 

Com o mobile cada vez mais presente na rotina, os consumidores possuem a liberdade para buscar informações sobre produtos e comprar online de qualquer lugar e horário de seu dia, inclusive de dentro da loja física do varejista. A decisão de compra depende de fatores como, facilidade, comodidade e preço, ter que ir até uma loja distante ou esperar chegar em casa para efetuar a compra pelo desktop não é mais necessário, todo o comércio está ali na palma da mão. Cerca de 50% dos omnishoppers entrevistados afirmam que websites e apps são a última influência para realizar a compra. Além disso, 54% dos brasileiros afirmam já terem comprado no site do varejista utilizando o smartphone enquanto estavam dentro da loja física desse mesmo varejista. De acordo com a Go Biz, é por isso que uma estratégia de marketing bem planejada precisa focar no cliente e não apenas no canal de vendas ou dispositivo. “As empresas que compreenderem essa necessidade, sairão na frente em um mercado cada vez mais competitivo”, explica.

 

Em relação ao processo de compra quando o consumidor tem em mente o que deseja, 68% deles começam a pesquisa diretamente no site do varejista e não nos mecanismos de busca. Quando ele já possui certeza do item que irá adquirir, este índice aumenta para 73%. Até aqueles que não estão em busca de um produto específico são mais propícios a começar suas buscas dessa maneira, com 51% admitindo que vão primeiro na loja virtual. Os meios off-line de publicidade como a TV não são mais influenciadores dos omnishoppers, os sites e apps tomaram esse espaço. Segundo a pesquisa, 50% dos entrevistados são mais influenciados por esses meios do que pelos mecanismos de busca ou mesmo as redes sociais.