Porque o Banco Central suspendeu o WhatsApp Pay no Brasil

O WhatsApp estava ansioso pelo lançamento de sua última funcionalidade, o WhatsApp Pay. Essa ferramenta prometia ao usuário a liberação, dentro do aplicativo, de um recurso capaz de fazer e receber pagamentos online.

A novidade seria lançada primeiro no Brasil, como um teste, antes de ser levada a outros países.

 

Expectativa

Logo que foi anunciada, a novidade despertou a curiosidade e a desconfiança nas pessoas, mas principalmente, de outras empresas, sobretudo das operadoras de cartão de crédito e instituições financeiras.

A maior de todas as preocupações em relação ao WhatsApp Pay é quanto à segurança do sistema, já que o aplicativo pertence ao mesmo grupo do Facebook. A rede social, como se sabe, se envolveu nos últimos anos com inúmeras questões relacionadas à privacidade dos dados de seus usuários.

 

WhatsApp Pay no Brasil

No Brasil, as transações financeiras que se encaixam em soluções de pagamento possuem um regulamento no Sistema de Pagamentos Brasileiros (SPB). Isso significa que existem obrigações e deveres das empresas envolvidos no meio.

Desta forma, em junho, o Banco Central (BC) e o Conselho Administrativo de Defesa Econômica (CADE) decidiram, em conjunto, suspender o lançamento operacional do WhatsApp Pay, por entender que a empresa apresenta risco ao funcionamento das transações descritas no regulamento do SPB.

O Banco Central afirmou que ainda vai analisar o WhatsApp Pay, para ter certeza de que o aplicativo não será um problema para os usuários, quanto à questão de sigilo dos dados.

Além disso, o BC disse que avaliará a novidade em relação aos seus concorrentes, para evitar que haja impacto negativo no mercado.

 

Dados x Mercado Financeiro

O WhatsApp tem um banco de dados muito grande, repleto de informações de milhões de pessoas, isso é fato. No entanto, o aplicativo ainda não tem a relevância no mercado financeiro como seus concorrentes atuais, que garantem as intermediações dos pagamentos realizados com segurança e confiabilidade já conquistadas.

Para isso, o WhatsApp vem formando parcerias para o processamento das transações. Um dos parceiros da empresa é a Cielo, que garante que o sistema conta com sistema de segurança adequado, protegido por diversas camadas.

Isso permitiria ao usuário cadastrar senha única e ser o único responsável por autorizar cada transação feita na plataforma, além da possibilidade de usar biometria em aparelhos eletrônicos como medida de segurança adicional.

 

Insegurança do mercado

Apesar de tomar conhecimento de parcerias e medidas de segurança para o WhatsApp Pay, o mercado ainda vê com insegurança a novidade.

Boa parte de economistas e outros especialistas do setor teme que, durante a fase de implantação, os usuários possam cair em golpes, como por exemplo, por meio de links enviados no próprio WhatsApp por bandidos que se aproveitariam do momento e grande popularidade do app.

O WhatsApp, por sua vez, entende que toda “novidade” tem um período de adaptação e algumas dificuldades. Desta forma, a estratégia do aplicativo é liberar a nova ferramenta de pagamentos de forma gradual.

Isso ajudaria a minimizar problemas e dúvidas logo no início, apresentando soluções antes de avançar com a novidade para outras fatias da população.

 

O que dizem os especialistas?

Alguns especialistas afirmam que o Banco Central pode ter sido pego de surpresa com o lançamento do WhatsApp Pay e que precisará, no mínimo, de 30 dias para rever os serviços da plataforma.

No entanto, especula-se que a liberação do app leve ainda mais tempo, talvez até 6 meses. Por enquanto, a única certeza é de que o WhastApp Pay continua suspenso.